Negócios: Tendências para 2016

Hoje, para que um novo negócio promissor engrene e gere bons frutos é necessário que combine dois fatores essenciais, potencial de mercado e o domínio do empresário sobre o serviço disposto a oferecer. De nada adianta montar um negócio que está em alta se você não tem aptidão para gerir.

Portanto, determine quais são as suas habilidades e em qual área você deseja empreender. A partir daí é recomendado pesquisar pelas atividades desta categoria que possuem potencial de sucesso. Para começar bem a sua pesquisa, acompanhe abaixo algumas das melhores ideias de negócios promissores para  2016:

  1. Serviços Corporativos de Bem-estar Estão Entre os Negócios Promissores

Um funcionário doente ou com mal-estar é capaz de gerar muito prejuízo para uma empresa, visto que o seu nível de produtividade cai, sem falar nos casos que exigem afastamento do trabalho. Nos últimos anos, as empresas americanas lançaram a tendência de se preocupar mais com a saúde dos seus colaboradores para garantir o bem-estar, obviamente, objetivando reduzir os custos com doenças e afastamentos.

Desde então, preocupar-se com a saúde dos funcionários se espalhou pelos demais países, chegando, inclusive, no Brasil. Logo, uma boa alternativa de negócio promissor para 2016 são os serviços corporativos de bem-estar, que atuam em dois setores, prevenção de doenças no trabalho e inserção dos funcionários que estão se recuperando.

Perceba, a tendência de negócio promissor é realmente forte. Também, podemos destacar o fato desta prática aumentar a satisfação dos funcionários para com a empresa, já que demonstra preocupação e esforço para cuidar do bem-estar. Isto se reflete em retornos de doenças mais rapidamente, motivação, aumento da produtividade e até em uma possível redução do índice de ações trabalhistas contra a empresa.

Os serviços corporativos englobam programas para acabar com os maus hábitos dos colaboradores, trabalhando com abordagens sobre a conscientização alimentar, incentivo a prática de exercícios físicos, programas de lazer e entretenimento. Para montar uma empresa nesta área, você deve montar uma equipe com nutricionista, educador físico, recreador, massagista e adquirir equipamentos de jogos. Com os serviços corporativos de bem-estar, o empresário pode lucrar, em média, R$ 10 mil reais por corporação atendida.

Os serviços costumam ser prestados para empresas de grande porte, isso se dá por dois motivos: empresas de pequeno porte possuem poucos funcionários e tem seu poder econômico limitado, dificilmente adquirirão o serviço.

Você pode se interessar também por abrir uma empresa de planos de saúde, embora seja um negócio promissor diferente, tem boas estimativas de crescimento e a lucratividade é alta.

  1. Aposte Nas Bebidas Funcionais Como Negócios Promissores

Atualmente, a falta de tempo e correria com os afazeres é absurda, é muita coisa para fazer e, no final das contas, a maiorias das pessoas se sente exausta no final do dia após executar todos os seus compromissos diários. O stress e a perda de sono são dois sintomas que estão presentes em quem costuma trabalhar muito.

Para tratar das pessoas estressadas e com problemas de saúde, você pode entrar para um mercado novo e que ainda é pouco explorado no Brasil, trata-se da fabricação e venda de bebidas funcionais, ou seja, que auxiliam o organismo a conquistar determinado objetivo. Por exemplo, nos Estados Unidos, os sucos com soníferos naturais estão em alta, sendo uma boa opção para quem quer ter um sono de qualidade sem usar medicamentos.

Segundo estimativas do mercado, a tendência é que o negócio de bebidas funcionais cresça 24,8% em 2016. Para entrar neste ramo, você pode montar uma pequena fábrica ou loja de bebidas funcionais, desenvolvendo as suas próprias receitas, incluindo elementos naturais que ajudam a dormir, tratam a pele, ajudam a emagrecer, auxiliam na digestão, etc.

Ficou interessado com a ideia de trabalhar com produtos naturais? Tem receio de montar sua empresa e pela falta de experiência vir à falência? A solução pode ser trabalhar com franquias. Veja nosso texto exclusivo sobre franquias de produtos naturais.

Um ponto a se destacar no tocante ao negócio promissor de bebidas funcionais é que, por ainda estar “chegando ao Brasil”, a concorrência é baixa, consequentemente, a possibilidade de ganhar mercado é maior, além de poder se tornar referência no segmento.

  1. Negócios Promissores: Comida de Rua Não Perde Espaço

Comer na rua é uma alternativa muito recorrente entre as pessoas que têm pressa e que não querem gastar muito dinheiro. No exterior, foi desenvolvido o serviço de food trucks (caminhões de comida), que está se espalhando rapidamente pelo Brasil, sendo um dos Pequenos Negócios Promissores para 2016 para quem vive nos grandes centros urbanos.

Os economistas estimam que o food trucks tenha um potencial de crescimento de 3,7% para o próximo ano e uma margem de lucro de 26%. Para trabalhar com um caminhão de comida, o empresário tem que entender de culinária e administração. Neste empreendimento, você pode vender desde cachorro-quente, pizzas, bolos, até refeições completas. A vantagem deste negócio é poder levá-lo para qualquer lugar, o que permite faturar em diferentes regiões.

Também, não podemos deixar de destacar um dos pontos positivos principais e que tem levado a maior parte dos empresários a aderir a food truck, é a inexistência de encargos com aluguel. Talvez o aluguel seja um dos maiores custos de quem inicie seu próprio negócio e conseguir escapar dele já é considerado um grande diferencial.

  1. A Internet Tem os Negócios Mais Promissores Para 2016

Imagine um lugar em que você pode montar uma empresa que tem capacidade para atender a nível nacional e internacional sem fazer um investimento altíssimo. Conseguiu? Bom, este é a internet, na qual se concentram os negócios mais promissores para 2016, “prometendo” ser um dos setores que mais vai crescer economicamente nos próximos 5 anos.

Os serviços que mais crescem na internet estão relacionados ao desenvolvimento de novas tecnologias e aplicativos para smartphones e computadores. Além disso, segundo a empresa de pesquisa Spotify, a venda de música online é um grande potencial desta categoria.

A estimativa de crescimento dos negócios na internet é de 9,9% para 2016. Para criar um negócio online , você tem que ter uma boa ideia e conhecer as ferramentas para colocá-la em prática. Algumas das opções mais promissoras para trabalhar na internet são as vendas em redes sociais, lojas e-commerce, além de leilões virtuais.

  1. Prestar Consultorias Pode Ser Um Negócio Promissor

Você tem uma expertise, mas perdeu o emprego e está fora do mercado? Então, que tal fazer as empresas solicitarem os seus serviços? Uma das possibilidades de negócios promissores para 2016 é prestar consultorias, cujo crescimento esperado para o próximo ano é de 4,2%. Neste ramo de atividade, você pode faturar de 5 a 20 mil reais por empresa atendida.

Os negócios relacionados à prestação de consultoria estão em alta porque as empresas estão em busca de diminuir os seus custos e melhorar os seus processos, objetivando o lucro sem exceder os recursos financeiros. A área de RH é uma das principais opções de consultoria para trabalhar, visto que as empresas estão terceirizando este serviço. Para montar um negócio nessa área, você vai precisar ter formação em recursos humanos, fazer palestras, ter mais um funcionário qualificado e disponibilidade para atender as corporações.

  1. Vinícolas

O mercado da bebida está em franca expansão no Brasil, o que faz com que as vinícolas estejam entre os negócios promissores para 2016, apresentando uma estimativa de crescimento de 4,9% para o próximo ano. O comércio de vinho é voltado especificamente para os consumidores da classe econômica média.

Para montar uma vinícola, uma alternativa é trabalhar com o comércio de vinhos brasileiros e da América do Sul, que sofreram uma sensível melhora na última década e estão entre os preferidos dos consumidores brasileiros. Com uma vinícola, você pode fatura em torno de 15 a 50 mil reais por mês.

  1. Jogos Para Internet São Novos Negócios Promissores

Você é um gamer assumido? Então, por que não transformar a diversão em profissão? Os jogos para internet fazem parte dos negócios mais lucrativos e com potencial de crescimento na rede virtual. Para trabalhar nesta área, o empresário tem que ter conhecimentos aprofundados no desenvolvimento de jogos.

Os jogos desenvolvidos para a internet podem ser disponibilizados online de maneira gratuita, permitindo que o empresário fature através da venda de anúncio e com patrocinadores da área de games ou por meio da venda de cadastros para que os jogadores possam acessar as plataformas.

Fonte: Novo Negócio

Anúncios

Imersão Empreendedorismo 2015.2!

Bom dia galera!
Hoje vou contar para vocês como foi participar do Imersão Empreendedorismo do Na Prática! Mas primeiramente, vamos falar um pouco do programa:

O Imersão, programa de preparação e decisão de carreira do Na Prática, dá aos jovens a oportunidade de conhecer o dia a dia de profissionais em diferentes áreas de atuação e explorar as principais possibilidades de trabalho em cada uma delas. Durante o evento, que tem duração de três dias, é possível conhecer melhor as oportunidades de carreira e entender como funciona o dia a dia dos profissionais, por meio de bate-papo com funcionários, atividades mão na massa e até mesmo conversas com grandes líderes, referências em sua área. Os participantes também têm a chance de estar dentro das empresas – por meio de visitas guiadas – para entender, na prática, como é o trabalhar lá.

E como foi?

IMG_2162Dia 1: Conhecendo as pessoas e fazendo apresentações

No primeiro dia, que aconteceu no CUBO coworking, a galera começou o dia se apresentando e conhecendo um pouco das historias dos outros participantes, que eram ao todo 140 pessoas! Gente de todo o país, de diversas áreas e faculdades uma diversidade incrível. Logo após isso, foram passadas algumas regras para ficar claro como seriam os próximos passos.

“O Imersão é um programa que visa diminuir a assimetria de conhecimento sobre o mercado, dando ao jovem a oportunidade de mergulhar em uma trilha de carreira para que possa   conhecê-la melhor antes de entrar e assim tomar decisões mais embasadas.”
Ailton Arantes Cunha, facilitador do programa

Logo após conhecermos um pouco da história da fundação estudar (clique aqui para conhecer), conhecemos três empreendedores Online e três Offline:

12219494_744715865661725_2231410210439418575_n12219420_905500866213591_2595411257281362204_n1546365_905500969546914_4914753909281048391_n

Online: Stone, 3yz e Mercado Fresh 

10485239_905500709546940_7696234658368257195_n11947696_10207831226195830_3480406230583038951_n
11215142_10207831225235806_2984814041401952656_n

Offline: Restaurante Épice, Offlet e Courrieros 

Além de assistir cada empreendedor contar um pouco de sua história, também tivemos a oportunidade de conversar com cada um deles, fazer perguntas e criar networking! Seguindo o dia, consultamos uma lista com cada empresa que iriamos visitar logo após as palestras, e a minha foi a Lote42.

“A Lote 42 privilegia obras que dialoguem com uma sociedade conectada em que a qualidade de reflexão se torna o critério e o filtro para a veiculação desses conteúdos. Nossos livros sempre vão além do papel. Cada obra conta com uma presença digital própria e adequada ao conteúdo – seja por ebooks, sites, blogs, tumblrs ou a solução que for. Buscamos formalizar um catálogo de obras de referência que retratem nosso tempo em novas leituras.”. Visitamos a banca Tatuí, onde são vendidas as obras, e descobrimos algumas curiosidades!

Sem títuloUma banca com show no teto?! Só em sampa mesmo! 🙂

No segundo dia, que foi na Fecap, foram montados grupos para realização de uma atividade. Logo após seguirmos a proposta dada, usamos algumas técnicas para aprimoramento das ideias. Teríamos que fazer um pitch dela no ultimo dia! Logo após isso, recebemos mais três convidados para falar de seus negócios, da Stoodi, PonteAponte e Artemisia

10846059_905813262849018_2398749915708894517_n
12247074_905813382849006_8551312149899536731_n
11140227_10207831222475737_3482041131352178170_n
Enchendo os convidados de perguntas! rs 😉

Também recebemos outros três convidados representantes da Qeepme, do Cubo Coworking e do Itaú 

12227170_10207831222595740_1415257960815110278_n
12243037_10207831219715668_7671459646243412593_n
12208655_10207831219475662_803242631150938518_n
Aprendendo com quem já faz!

A segunda empresa que meu grupo visitou foi a eGenius, uma Venture Builder: 

eGenius FoundersParte da equipe que trabalha no local. Fonte EXAME

Diferentemente do modelo de venture capital, incubadoras ou aceleradoras, a eGenius cria startups usando ideias próprias à partir de seus recursos e designam equipes internas para desenvolver o negócio. A alemã Rocket Internet é um exemplo de empresa que adota esse tipo de modelo de negócio. As empresas criadas compartilham recursos da holding como das áreas de TI, financeiro, mas funcionam de forma independente. Hoje estão alocadas as empresas EasyCarros, BeeCambioSINGU e F(x)O que mais me chamou atenção foi como eles prezam pela meritocracia, mesmo em uma empresa tão pequena e horizontal. Com certeza são empresas que focam ao médio e longo prazo e usam isso como estratégia para crescimento constante.

12249880_745263442273634_2819154182775902669_n
Final da visita, prontos pro Happy Hour!

O terceiro e ultimo dia de imersão foi incrível, pois conhecemos Verena Stukart que é cofundadora da Mundipagg e participou também da Braspag, empresas pioneiras do Brasil. Logo após as apresentações dos grupos com seus projetos, tivemos o feedback de cada visita a cada empresa da quinta e da sexta, além de uma premiação para o melhor projeto com uma consultoria 100% gratuita para startups!

O projeto Reciclo foi o campeão! Parabéns ao time!

E com isso encerramos os três dias mais incríveis de todos os tempos, com muito networking, aprendizado, conhecimento e experiencias! Foram criadas varias conexões que podem mudar muitas histórias! Agradeço muito a Fundação Estudar, aos facilitadores Guy, Ailton e Thaisa pela dedicação e aos participantes pelas vivências e conversas. Um abraço aos novos amigos Alcides Ferreira, Aline Freitas e Fábio Eduardo!

A galera reunida e missão cumprida!

HUB Day: Veja como foi nosso primeiro encontro com empreendedores!

0c41b4371785461f80a24e8ae23a10cd
Hey galera!

Neste sábado, 3 de outubro nos encontramos com alunos e empreendedores na Fatec Cotia. Com a palestra sobre cultura empreendedora, apresentada pelo Ms E Fernando Correa Grisi, os participantes conheceram um pouco mais do que é empreender, como fazer e com quem falar, uma tarde de sábado que realmente acrescentou conhecimento! Veja mais fotos na nossa página no facebook!

392e7ec90baa18ea713fcc90d3b373eb

c8e243235669c90793221183b239696a

cd22c9e128dc7d84d7d7cf5548e20124

Participe do HUB DAY na Fatec Cotia

940001298076192_a-970f0f69_xMUFVg_pm

HUB DAY!

O HUB de Inovação e Empreendedorismo da Fatec Cotia irá promover a primeira palestra para empreendedores da faculdade e região de Cotia com o Evento HUB DAY. Totalmente Gratis!

PALESTRANTE CONFIRMADO:

FERNANDO CORREA GRISI
CO-FUNDADOR E CEO DA CULTURA EMPREENDEDORA
https://www.facebook.com/fernando.correagrisi

Além deles, iremos ter uma dinâmica para os participantes com trocas de ideias e networking no local! Tragam seus cartões, folders e muito mais!
As primeiras 20 pessoas que se inscreverem concorrem a um premio surpresa!

VENHAM TODOS!

Conheçam nosso projeto:

hubfatec.wordpress.com

https://www.facebook.com/hubfatec

 

O Brasil foi rebaixado em sua avaliação. Saiba mais

Você ouviu estes dias que o Brasil foi rebaixado, mas você sabe a consequencia disso? Então leia mais abaixo e tire suas conclusões.

O Brasil perdeu o grau de investimento na classificação de crédito da Standard and Poor’s (S&P), informou a agência de classificação de risco nesta quarta-feira (09). A nota do país foi rebaixada de “BBB-” para “BB+”, com perspectiva negativa. O rebaixamento do rating do Brasil para a categoria “especulativa” acontece menos de 50 dias após a agência ter mudado a perspectiva para negativa.

Em seu comunicado, a agência chama a atenção para a deterioração fiscal e a falta de coesão da equipe ministerial, como causas da decisão de rebaixar a nota.

“Os desafios políticos que o Brasil enfrenta continuam a pesar na capacidade do governo e vontade de submeter ao Orçamento de 2016 ao Congresso consistente com a política de ajuste fiscal assinalada durante o segundo mandato da presidente Dilma Rousseff”, destaca a S&P

Segundo a agência, a proposta do Orçamento do governo para 2016 com um déficit R$ 30,5 bilhões, ou o equivalente a 0,3% do PIB em vez dos 0,7% previstos em julho, “reflete um desacordo com a composição e magnitude das medidas necessárias para reequilibrar as contas públicas”.

Capa da revista The economist “Brazil’s quagmire” (“O atoleiro do Brasil”) 

“Acreditamos que a situação de crédito do Brasil enfraqueceu desde 28 de julho, quando a perspectiva do Brasil foi revisada para “negativa”. No momento, concluímos que houve um aumento elevado do risco para a política de correção fiscal em andamento, principalmente decorrendo da dinâmica fluída no Congresso, associada aos efeitos das investigações de corrupção da estatal Petrobras. Nós temos agora menos convicção na política fiscal”, destaca a SP&P.

No mercado financeiro, a nota de um país funciona como um “certificado de segurança” que as agências de classificação dão a países que elas consideram com baixo risco de calotes a investidores.

Nota em escala nacional

A agência também rebaixou o rating soberano de longo prazo em moeda local (escala nacional) para ‘BBB-‘ de ‘BBB+’, com perspectiva negativa.

classificação de risco notas brasil agências (Foto: Editoria de Arte/G1)

Brasil conquistou grau de investimento em 2008

A S&P é a primeira agência entre as maiores a tirar o grau de investimento do Brasil. Na Moody´s, o país está no último degrau, antes do grau especulativo. Na Fitch, o Brasil segue dois degraus acima.

O Brasil conquistou o grau de investimento pelas agências internacionais Fitch Ratings e Standard & Poor’s em 2008. Em 2009, conquistou a classificação pela Moody’s.

Selo de bom pagador

O grau de investimento é um selo de qualidade que assegura aos investidores um menor risco de calotes. A partir da nota de risco que determinado país recebeu, os investidores podem avaliar se a possibilidade de ganhos (por exemplo, com juros maiores) compensa o risco de perder o capital investido com a instabilidade econômica local.

Alguns fundos de pensão internacionais, de países da Europa ou os Estados Unidos, por exemplo, seguem a regra de que só se pode investir em títulos de países que estão classificados com grau de investimento por agências internacionais. Por isso, essa “nota” permite que o país receba recursos de investidores interessados em aplicar seu dinheiro naquele local.

A perda do grau de investimento na S&P significa também um revés para a equipe econômica liderada pelo ministro da Fazenda, Joaquim Levy, que vem trabalhando para tentar melhorar o perfil das contas públicas visando não só o equilíbrio fiscal como também o risco de perda do chamado “grau de investimento”.

Resumo

Os desafios políticos do país continuam aumentando e pesam cada vez mais sobre a capacidade e a vontade do governo de submeter ao Congresso um orçamento consistente com a correção de política significativa sinalizada durante a primeira parte do segundo mandato da Presidente Dilma Rousseff.

A proposta orçamentária do governo para 2016 prevê ainda outra mudança na meta fiscal primária – menos de seis semanas após a mais recente alteração da sua meta fiscal–, o que representaria três anos consecutivos de deficit primário e um contínuo aumento da dívida geral líquida, caso não sejam tomadas medidas subsequentes com relação à receita e aos gastos.

Perspectiva

A perspectiva negativa reflete nossa opinião de que há uma chance em três de ocorrer um outro rebaixamento dos ratings do Brasil. Prevemos que há a possibilidade de um rebaixamento no próximo ano, particularmente, em razão de uma maior deterioração da posição fiscal do país ou de uma possível reversão de políticas-chave, dada a fluidez das dinâmicas políticas, incluindo uma maior falta de coesão no gabinete da Presidente. Um rebaixamento poderia ocorrer também em razão de um aprofundamento da crise econômica maior do que o atualmente esperado, em função das questões de governabilidade ou de um enfraquecimento do ambiente externo.

Podemos alterar a perspectiva para estável, se as incertezas e condições políticas para uma execução de políticas consistentes melhorarem em vários setores do governo, de forma a estancar a deterioração fiscal e fortalecer as perspectivas de crescimento do PIB. Esperamos que tais melhoras sirvam de suporte para uma mudança mais rápida e possam ajudar o Brasil a sair da atual recessão, facilitando uma melhora no desempenho fiscal e expandindo o espaço de manobra frente a choques econômicos.

Fonte: G1

E você? Qual a sua opinião sobre isso? Compartilhe nos comentários!

TED Talks The art of first impressions – in design and life

Hoje a palestra é sobre Desing!

Julgar um livro pela capa?

O designer de livros Chip Kidd conhece bem como frequentemente julgamos coisas pela primeiras impressões. Nesta hilária e rápida palestra, ele explica as duas técnicas que designers usam para comunicação instantânea – clareza e mistério – e quando, porque e como elas funcionam. Ele celebra peças de design lindas e úteis, critica trabalhos de menos sucesso e compartilha o pensamento por trás algumas de suas icônicas capas de livros.

9 passos para deixar de ser empregado e virar empreendedor

Entre pedir demissão e abrir sua empresa, há espaço para que você faça uma transição estruturada

É muito comum ver empreendedores que decidiram criar sua empresa ao ficarem insatisfeitos com o emprego que tinham. São três as etapas para quem quer deixar de ser funcionário e virar patrão. A primeira é pedir demissão. A última, abrir o negócio. O intervalo entre as duas permite que uma transição seja feita.

Em artigo, publicado originalmente no site da revista “Entrepreneur”, o empreendedor Sujan Patel listou os passos que, segundo ele, devem ser tomados por quem deseja sair do emprego sem atritos e criar um negócio estruturado. Confira:

  1. Encontre sua paixão

Antes de tudo, descubra os segmentos em que você gostaria de empreender. É importante, diz Patel, que você seja realista: eleja setores em que suas habilidades e pontos fortes podem ajudar você a conquistar o sucesso. Do contrário, você pode se arrepender de ter largado o emprego.

  1. Não seja tão sonhador

Mais uma dose de realismo. Você deve desenvolver um produto ou serviço que chame a atenção das pessoas. Lembre-se: sem clientes, não há como obter receitas. E, consequentemente, seu negócio irá à falência.

  1. Valide sua ideia

Além do seu realismo, você precisa descobrir se, realmente, sua ideia é viável. Para isso, você precisa validar seu negócio, conversando com seu público-alvo. Nessa pesquisa de campo, é bem possível que uma parte do seu projeto mude, pois o que você pensou pode ser diferente da opinião dos clientes. Sem problemas: ajuste o que for necessário e siga para o próximo passo.

21862302-man-drawing-concept-in-office-Stock-Photo-marketing-strategy-entrepreneur

  1. Desenvolva seus planos de negócio e de marketing

Agora que você sabe o que vender, é hora de descobrir como vender. Desenvolva um plano de negócio, que deverá mostrar um planejamento para a sua empresa no médio prazo. Nele, você tem que mostrar como você quer ganhar dinheiro. Ou seja, se vai apostar em vendas diretas, pagamentos mensais ou receitas vindas de anúncios, dentre muitas outras formas de monetização. De acordo com Patel, também vale pensar em uma estratégia de marketing. Planeje quanto você pode gastar e que canais de comunicação usará para atingir seus clientes.

  1. Tenha dinheiro

Você precisa de algum dinheiro para abrir seu negócio, bem como de capital de giro, que é a grana que você vai usar para pagar as contas da empresa enquanto ela ainda não gera faturamento. O dinheiro, afirma Patel, não precisa ser seu. Você pode buscar um investidor, por exemplo.

  1. Comece devagar

Segundo o especialista, caso sua empresa não exija atenção exclusiva, não há problema em começar seu negócio enquanto ainda trabalha como empregado. Só é importante não arriscar tudo. Comece devagar, com uma equipe enxuta e sem gastar todo o seu dinheiro. Vá recebendo o feedback dos seus primeiros clientes e veja se a empresa tem chances de decolar.

  1. Construa uma equipe

Se você não vai se dedicar em tempo integral à sua empresa, deve ter alguém de confiança a postos para resolver os problemas que surjam em sua ausência. Dependendo da sua experiência, também vale contratar especialistas em áreas como finanças, atendimento ao cliente e marketing. Tais adições à equipe, naturalmente, vão depender da quantidade de dinheiro que você tem.

 

  1. Veja se vale a pena sair. E saia

Ao abrir sua empresa, veja se tudo está dando certo. Caso não esteja, desista. Segundo Patel, falhar é algo bastante comum e faz com que o empreendedor cometa menos erros no futuro. Se tudo estiver bem e você já puder viver da sua empresa, peça demissão. A partir daí, foque no seu negócio em tempo integral.

  1. Escale

Agora que você se dedica exclusivamente ao negócio, é hora de crescer. Coloque em prática seu plano de negócio e multiplique seus ganhos. De acordo com Patel, é muito importante valorizar a equipe. Afinal, foram eles que “seguraram a barra” enquanto você se dividia entre o emprego e o próprio negócio. Lembre-se que, sem um time motivado e engajado, você não vai longe.

Fonte: Revista Pequenas Empresas & Grandes Negócios